Prepare seu cérebro para chegar aos 100 anos!



Com os avanços da medicina, viver ou até ultrapassar os 100 anos é uma possibilidade cada vez mais real. Mas o que adianta chegar lá sem saúde física ou mental? Fazer exercício, alimentar-se bem, não fumar e beber com moderação são cuidados importantes para quem deseja ganhar anos de vida. Mas é preciso cuidar também da cabeça. Afinal, como qualquer outro órgão do corpo, o cérebro envelhece e pode perder as suas capacidades.


A partir de estudos, neurocientistas e pesquisadores recomendam exercícios capazes de manter o cérebro em forma. Segundo os estudiosos, é possível exercitar o seu cérebro de várias formas e não apenas por meio de um sério estudo acadêmico. Ler, fazer palavras cruzadas ou aprender uma nova língua são as atividades mais recomendadas até agora. Mas conversar, dormir bem, não embarcar em pensamentos negativos e dar boas gargalhadas também podem fazer muito pela saúde cerebral. Vale até dedicar-se à arte do malabarismo, só não pode parar e deixar o cérebro enferrujar. Pesquisas recentes usando estudos de imagens demonstraram aumento da atividade e de conexões no cérebro de pessoas com mais de 50 anos que aprenderam malabarismo num curso de três meses. Mas, o efeito positivo em seus cérebros durou apenas o tempo em que eles permaneceram praticando as novas habilidades. Fale, fale, fale Passar, pelo menos, dez minutos por dia falando com outra pessoa pode melhorar a memória. Segundo pesquisadores da Universidade de Michigan, um simples bate-papo é tão efetivo como passar dez minutos fazendo palavra cruzada. De qualquer forma, as duas atividades são mais benéficas que passar o mesmo tempo em frente à TV. Cultive amizades Estudos recentes mostram que pessoas que mantêm uma rede social ativa costumam também viver muito e usufruir uma qualidade de vida melhor. Cultivar bons relacionamentos mantém a acuidade do cérebro aguçada, dando às pessoas a chance de interagir e aprender mais sobre o ser humano. Mantenha a pressão baixa A pressão sanguínea alta (hipertensão) danifica as artérias e aumenta o risco de derrame cerebral, o que contribui para o declínio mental. Consultar regularmente o médico e manter a pressão abaixo de 120/80 mm/Hg é a indicação dos estudiosos. Durma bem Pesquisa recente sugere que dormir demais ou muito pouco pode aumentar o risco de derrame, o que é uma preocupação para a saúde cerebral ao longo dos anos. Quase todo mundo teve a experiência de se sentir menos “inteligente” depois de uma noite mal dormida, mas os dados sugerem que padrões de sono ininterruptos são mais frequentemente associados com o risco de demência do que se pensava. Se você tem problemas com o sono ao longo da noite, converse com o seu médico ou um neurologista. Veja as outras dicas Sonhar acordado, aprender a lidar com pensamentos negativos, dar boas gargalhadas... Leia mais. http://www.felicidadeinternabruta.com.br

"O que se leva da vida, é a vida que se leva"
                           Antoine de Saint-Exupéry 

Estr. de Jacarepaguá, 7187, Bloco 1, sl 519
(Meta Office Building I) - Freguesia de Jacarepaguá, Rio de Janeiro - RJ, 22755-155
Tel: 021 9 9983-2796 / 021 3473-5769